COMO MANTER A SAÚDE MENTAL EM MEIO A PANDEMIA

Marcella Milani terça-feira, 24 de março de 2020

Fundação Padre Albino

Como manter a saúde mental em meio a pandemia

Na última semana todos nós fomos, de alguma forma, afetados pela Pandemia: Compromissos cancelados, rotina de trabalho alterada, escolas fechadas, vida social e familiar restritas, hábitos de higiene pessoal reforçados, falta de produtos nas prateleiras, sem falar no medo da contaminação pelo vírus COVID-19.

E todas essas entre tantas outras alterações do cotidiano de forma tão repentina fizeram com que experimentássemos a sensação de caos e, portanto, de vulnerabilidade total e indiscriminada.

A necessidade de adaptação imediata como estratégia de sobrevivência somada ao medo da contaminação, elevaram significativamente os níveis de stress num curtíssimo espaço de tempo. E o stress, embora tenha uma função importantíssima para a nossa sobrevivência, ao permanecer sem regulação terá um impacto significativo no nosso sistema imune, debilitando sua capacidade de resposta e, portanto, nos deixando mais vulneráveis não só ao COVID-19, mas em relação a qualquer outro tipo contaminação quer seja por vírus, bactérias, fungos ou parasitas.

 Desta forma, é fundamental que estratégias para regulação do stress sejam adotadas o mais rápido possível.

 

  1. Respiração e relaxamento.

São estratégias que não demandam tempo e muito menos investimento.

Sobre a respiração: a técnica recomenda que a inspiração seja sempre pelo nariz e a expiração pela boca. E isso deve ser feito muito lentamente. Para quem está com crianças em casa, é possível ensiná-las também: elas podem se imaginar cheirando uma flor bem profundamente e depois soprando uma velinha bem devagarzinho.

Sobre o relaxamento: tente perceber os pontos em que está tenso e tente relaxar.

 

  1. Atividade Física

Para quem está habituado e tem orientação, procure encontrar formas de mantê-las sem se expor.

 

  1. Alimentação

De acordo com o Nutricionista Gabriel de Carvalho, ingerir frutas e verduras neste momento é fundamental. Não só pelos nutrientes que podem fornecer mas, principalmente, por terem um papel essencial na saúde intestinal. Um intestino saudável impacta de forma positiva nossa microbiota que tem papel importantíssimo na manutenção da nossa imunidade. Intestino saudável e microbiota saudável elevam nossa imunidade.

Além disso, ele recomenda alimentos ricos em vitamina C: laranja, limão, acerola, açaí e goiaba podem ser alternativas interessantes.

 

  1. Regulação de pensamentos tóxicos

Em situações em que os níveis de stress estão elevados, é comum que os pensamentos fiquem catastróficos o tempo todo, ou seja, torna-se quase impossível enxergar pontos positivos numa situação.

Desta forma, seguindo recomendação da Dra. Marilda Lipp, tente perceber seus pensamentos. Perceba se está mantendo pensamentos de medo e desespero ou adotando pensamentos encorajadores.

O redirecionamento do pensamento negativo é fundamental. Você pode fazer isso se questionamento, por exemplo, se tem tomado as medidas de higiene recomendadas, se está num grupo de alto risco, se tem ficado exposto, enfim, que estratégias tem adotado para se proteger e elevar sua imunidade?

Em geral suas ações já definirão que está tendo medidas de segurança e seus pensamentos serão mais racionais. Outra medida importante no redirecionamento é não permanecer o tempo todo acessando toda e qualquer notícia a respeito do vírus. O excesso dessa informação o tempo todo eleva muitíssimo também o nível de stress. Todos precisamos saber o que está acontecendo para tomarmos medidas de proteção, mas 24 horas por dia, pode ser prejudicial.

E vale destacar que pensamentos tóxicos desencadeiam a liberação de hormônios do stress e estes têm altíssimo impacto sobre a microbiota intestinal. Sendo assim, ao regular seus pensamentos também estará colaborando para sua saúde intestinal e, por conseguinte, com a sua imunidade.

 

  1. Sono

O stress também pode impactar o sono o qual também é fundamental na manutenção da nossa imunidade. Com a rotina alterada, muitas pessoas também alteram o sono. Desta forma, a sugestão é tentar manter o padrão do sono. Tente não dormir durante o dia, se estiver em casa, por exemplo, para não desregular o ritmo circadiano. Embora as sugestões para a manutenção da imunidade e regulação do stress estejam sendo adotadas em caráter emergencial por muitos, seria interessante pensar em adotá-las como estilo de vida, pois em breve entraremos no inverno, por exemplo e elas seriam muito úteis.

Além disso, por que não cuidarmos de hábitos que podem melhorar nossa saúde física e mental após passarmos por essa crise.

 

Autoria: Sabrina F. Tanajura é psicóloga clínica especialista em terapia cognitivo comportamental.

 

Lembramos que o Grupo de Apoio ao Trabalhador (GAT) está a disposição dos colaboradores da FPA, por meio do ramal 3521.

Galeria


CENTRO UNIVERSITÁRIO PADRE ALBINO - UNIFIPA