Últimas Notícias

14
nov

Alunas da Enfermagem são aprovadas em concurso da Prefeitura de Rio Preto

             O concurso público da Prefeitura de São José do Rio Preto, realizado pela Fundação Carlos Chagas em 20 de outubro último, ofereceu 18 vagas para enfermeiro, com 2941 inscritos e média de 163 candidatos por vaga.             A prova, dividida em duas etapas: a primeira, objetiva, e a segunda, discursiva, classificou os candidatos com nota objetiva de no mínimo 6,0 para correção da prova discursiva, sendo de 360 melhores candidatos o limite para correções. Quatro alunos do curso de Enfermagem da UNIFIPA foram classificados: Caroline de Abreu Rodrigues, Tais Vaz e Giovana D'Olivo, do quarto ano, e Ana Júlia Camargo, do terceiro ano. As alunas Tais Vaz e Ana Júlia Camargo ficaram dentro das vagas para correção da prova discursiva e seguem para classificação final, com resultado previsto para 03 de dezembro próximo.             A coordenadora do curso de Enfermagem da UNIFIPA, Profa. Dra. Maria Cláudia Parro, parabenizou as alunas pelo excelente resultado.  
14
nov

Preconceito e intolerância são temas de projeto de extensão da Administração

            O curso de Administração da UNIFIPA, através do projeto de extensão “A cultura humanística da educação nas organizações e no exercício da cidadania”, em comemoração ao Dia da Consciência Negra, exibiu o filme Crash – No Limite no dia 31 de outubro, no Campus São Francisco. O projeto teve a participação de 45 alunos do 1º ano, com coordenação da Profa. Dra. Maria Tereza Roland.             O objetivo do projeto é promover a reflexão e debate sobre temas relacionados aos direitos humanos e ao exercício da cidadania a partir de sessões de cinema. “A temática programada para esse evento está ligada à reflexão sobre as relações étnico-raciais e sobre o Dia da Consciência Negra, dia 20 de novembro. Para motivar as reflexões e discussão em torno da temática de base foi escolhido esse filme, pois traz representação dos conflitos sociais gerados por ideias estereotipadas que afetam o julgamento do que é diferente”, explicou a professora.             Dirigido por Paul Haggis, Crash - No Limite estreou no Festival de Cinema de Toronto em setembro de 2004 e foi lançado internacionalmente em 2005.  No Oscar de 2006 recebeu os prêmios de melhor filme, melhor roteiro original e melhor edição.    
14
nov

Educação Física promove copa de futsal e cria Comissão de Egressos

              No dia 9 de novembro, o curso de Educação Física Bacharelado da UNIFIPA promoveu a I Copa de Futsal: Egressos Bons de Bola no Complexo Esportivo do Campus Sede. A disputa teve a participação de seis equipes, totalizando 70 participantes entre egressos do Bacharelado e Licenciatura. A competição foi organizada pelo Prof. Me. Marcus Seixas com a colaboração do coordenador do curso de Bacharelado, Prof. Ddo. Igor Augusto Braz e Prof. Ddo. Américo Lourenço.             O primeiro colocado foi o time Real Matismo FC, seguido do Tabajara e Ganhamos Nada, que receberam medalhas e troféu para o time campeão. “Os jogos transcorreram dentro de clima de amizade e respeito. A equipe de arbitragem foi formada por docentes e discentes do curso, que garantiram o bom andamento das partidas”, informou o Prof. Américo Lourenço.  Comissão de Egressos              O curso de Educação Física disponibilizou coffee break antes do início da competição, no qual os ex-alunos puderam socializar-se e relembrar a época em que estudaram na Instituição. No intervalo dos jogos foi criada a Comissão Permanente de Egressos do curso, com objetivo de elaborar e realizar dois encontros anuais e fortalecer o vínculo entre o curso e os ex-alunos.    
13
nov

Egressa do Direito UNIFIPA fala sobre sucesso profissional

            Bárbara Maccario, graduada em 2017 no curso de Direito da UNIFIPA, ingressou no concorrido mestrado na Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra  (FDUC), após a seleção no Programa de Mestrado em Direito Civil, com duração de dois anos, categoria estudante internacional.             O convite para participar do mestrado em Portugal foi realizado por docente da FDUC, após apresentação de seu trabalho de conclusão de curso (TCC), fruto de projeto de extensão realizado com a Profª Me. Márcia Menin.             De férias letivas em Portugal, Bárbara Maccario veio ao Brasil e visitou o curso de Direito da UNIFIPA. Nesta entrevista ela dá lições de vida que poderão ajudar, e muito, todos aqueles que desejam trilhar o mesmo caminho: o do sucesso profissional.  P: Tomar decisões no Ensino Fundamental não deve ser algo fácil para um adolescente. No seu caso, o que te fez escolher o curso de Direito e na UNIFIPA? Bárbara Maccario: E de fato não é, afinal, essa escolha pautará tantos outros resultados, bem por isso uma pesquisa consciente é essencial. Quanto à escolha do curso de Direito, essa não era a minha primeira opção; saí do Ensino Médio para cursar Odontologia fora da cidade. Com oito meses de curso pude compreender que não era a melhor escolha para mim. Eu gostava muito da ideia de poder ajudar as pessoas, mas me comunicar era o meio mais eficiente para mim. Logo, percebi que Odontologia me limitava de certa forma. Além disso, outras questões financeiras também pesaram na escolha. Por isso, no primeiro ano abandonei o curso e por um período realizei pesquisas de cursos e o curso de Direito me chamou muito a atenção por apresentar uma forma eficiente de ajudar pessoas, colaborar socialmente e entender um pouco mais do sistema que vivemos. Então a pesquisa se estendeu a qual universidade eu cursaria Direito. Sou natural de Catanduva, minha família também. Ter morado fora por alguns meses foi uma experiência interessante, mas poder ter um curso de qualidade e excelência na minha cidade era a junção perfeita. Não é de hoje que o curso de Direito da UNIFIPA vem sendo amplamente reconhecido. São dados que tive acesso na época. Além do mais é um enorme benefício que temos em casa poder ter aulas com professores que nos reconhecem como de casa, faz toda diferença, ao passo que em outros lugares você, por vezes, se torna mais um. Assim, o conjunto dessas ponderações resultaram na escolha pela UNIFIPA, que hoje reconheço como um ótimo primeiro passo.   P: Você foi uma excelente aluna, que participou intensamente do curso de Direito, dentro e fora de sala de aula. No que isso contribuiu para a sua formação? Bárbara Maccario: Sou muito agradecida por ter tido tantas oportunidades curriculares e extracurriculares, todas repletas de apoio profissional, mas, além disso, apoio amigo dos nossos professores, coordenadores e da instituição fizeram a diferença. Eles me mostraram o caminho e eu só segui os conselhos e aproveitei as oportunidades. Tudo isso contribuiu muito para a minha evolução, não apenas na qualidade de estudante, mas essencialmente como ser humano e profissional em construção. Possibilitou-me sonhar além, ter contato com outras áreas, outras perspectivas e ideias. É o caso dos projetos de pesquisa e extensão, congressos e participação da organização de eventos na própria universidade, que são essenciais para nos tirar da “bolha” social em que naturalmente estamos acostumados.   P: O curso de Direito da UNIFIPA desenvolve linhas de pesquisa e de extensão. O que te motivou a escolher o caminho da pesquisa? Bárbara Maccario: Como já mencionei, acho que esse é um grande diferencial da UNIFIPA. Ela avança muito em relação às outras universidades ao mostrar ao aluno as diferentes áreas de atuação de um jurista, incluindo a pesquisa. Desde o primeiro ano pude participar de projetos nos mais variados temas e aprender um pouco mais sobre o que é ser pesquisador e contribuir para construção de um sistema justo para além das formas jurídico-políticas que conhecemos. Foi assim que identifiquei a minha forma de contribuir socialmente, por meio do estudo de temas de relevância social, fomentando a discussão e a análise crítica do sistema no todo e também por meio da educação, um caminho que ainda estou em construção.   P: Como foi a sua experiência de ser premiada com o 1º lugar em um importante congresso de iniciação científica – o CONIC?   Bárbara Maccario: Foi, sem dúvidas, um dos momentos mais especiais da minha vida. No dia eu estava muito ansiosa; já era meu terceiro CONIC, mas o frio na barriga é sempre o mesmo. Apresentei meu projeto de pesquisa, que também era tema do meu trabalho de conclusão de curso, orientado pela professora mestre Márcia Menin. Falávamos sobre família e seus direitos. Quando nossos nomes apareceram na lista de classificação para mim já era uma grande vitória. Sinceramente eu não esperava por isso. Durante a premiação, quando ouvi nossos nomes e o da UNIFIPA, um filme passou na minha cabeça. Foi o reconhecimento de uma trajetória, de tudo o que realizamos juntas, nós e a instituição, de todas as oportunidades que agarrei e temores que enfrentei. Foi um momento incrível.   P: Você foi bem sucedida na aprovação do exame da OAB. O curso de Direito lhe proporcionou este preparo? Bárbara Maccario: O curso, apesar de não ser voltado apenas para OAB, como já mencionei, nos dando a possibilidade de conhecer inúmeros caminhos do Direito, sempre sendo muito completo, não deixava passar a preparação também para o exame da Ordem proporcionando, inclusive, além de outros métodos, aulas preparatórias aos finais de semana livres para todos os anos e também realizando simulados, nos fazendo ter um prévio contato com a prova. Sempre que pude participei dos simulados e das aulas e isso contribui muito.   P: “Não me diga quão difícil é a tempestade, apenas traga o navio de volta”. O que lhe diz essa frase? Bárbara Maccario: Um dia, em um momento bem difícil, durante a preparação para o exame da Ordem, eu ouvi isso da nossa professora Ivana Mussi. Eu nunca mais esqueci. Sempre encontrei nos livros e na história de outras pessoas força para os momentos difíceis. Por isso algumas frases eu levo comigo; elas me impulsionaram e me impulsionam. Assim, motivada, transcrevi e coloquei preso no meu calendário do trabalho e de casa para ler todos os dias. Não importa o quão difícil é o momento que estou vivendo, apenas mantenho o foco, trago a mente boas lembranças e não deixo o seu navio se perder. Trago ele de volta, não me lamento; apenas trago ele de volta. Por muitos dias, antes da prova da Ordem, eu relembrei essa frase e, por fim, trouxe o navio de volta!   P: Hoje você mora em Portugal porque foi aprovada no mestrado da Faculdade de Direito de Coimbra, uma experiência única e enriquecedora. O que essa conquista representa na sua vida? Bárbara Maccario: Representa muito. Afinal, nada para mim, nunca, foi fácil. É uma vitória chegar lá e ter a oportunidade de estudar com grandes mestres do Direito, entender o sistema global, sair da bolha social que vivemos, ter contato com tantas culturas diferentes. Uma experiência que também vai muito além da vida acadêmica. Representa evolução profissional e pessoal. Tudo isso faz toda diferença na vida prática do profissional do Direito que lida com a realidade e a vida das pessoas. Enfim, valeu a pena todo esforço, todo obstáculo ultrapassado. É um sonho sendo realizado! E novos sonhos sendo construídos; afinal, não se pode parar. “Que os vossos esforços desafiem as impossibilidades, lembrai-vos de que as grandes coisas do homem foram conquistadas daquilo que se parecia impossível”.   P: Recentemente, você visitou a faculdade de Direito da UNIFIPA e conversou com os alunos ingressantes no curso de Direito. Como foi essa experiência? Bárbara Maccario: Foi única, daqueles momentos que preenchem o coração. Foi a primeira vez que falei para um público que tenho tanto apreço: a galera da UNIFIPA. Eles estavam lá, sentados em um lugar que eu ocupei há alguns anos atrás, um lugar de construir sonhos, de plantar. Sempre disse aos meus professores que eles eram semeadores de sonhos. Eu, pela primeira vez, tive a sensação de ajudá-los nessa missão, que também é a que escolhi para mim. Tentei dividir com eles a minha trajetória, meus erros e acertos, aconselhar dentro daquilo que já vivi e espelhado no que vivo hoje e os lembrar de que as barreiras não existem; tudo é possível e os ganhos de amanhã serão proporcionais ao esforço aplicado hoje. Espero ter contribuído de alguma forma para que a esperança se mantenha viva e para uma visão que não se limite ao hoje.   P: O que o curso da UNIFIPA representa para você, hoje? Bárbara Maccario: Em uma palavra, OPORTUNIDADE, que deve ser muito bem aproveitada. Ali eu tive e temos a abertura de criar, o apoio dos nossos mestres que acreditam e compram a causa com fé e amor pelo que fazem. Nenhum talento é desperdiçado. Eu realmente falo com o coração cheio de carinho: a UNIFIPA é um centro de excelência e o curso de Direito é um dos grandes mantenedores disso.   P: Há algo que você gostaria de dizer para os vestibulandos que desejam fazer o curso de Direito, mas não decidiram qual faculdade fazer? Claro, e eu sempre digo. Temos uma joia em Catanduva. O nosso curso de Direito tem pontos muitos relevantes para aquele que deseja trazer algo novo para um mercado tão saturado de mais do mesmo. Nós, formados pela UNIFIPA, somos filhos de pais que apostam no novo e estão atentos à realidade e à necessidade social, construindo um profissional humano e pronto para agarrar qualquer oportunidade. Eu divido hoje cadeira nas aulas do mestrado com colegas das mais diferentes classes, como promotores, procuradores, juízes, advogados de sucesso, formados em grandes universidades nacionais e internacionais, e estar entre eles foi possível, também e muito, pela preparação que a UNIFIPA me garantiu. Por isso, façam a escolha correta sem medo e nós (e eu me incluo nessa soma, pois me sinto parte da UNIFIPA e sempre estarei por perto), estaremos aqui para orientá-los. “Corra guiado pela luz dos seus sonhos”.  
CENTRO UNIVERSITÁRIO PADRE ALBINO - UNIFIPA